Termina em Curitiba o 1° Congresso Pacto pelo Brasil

Durante quatro dias, mais de 50 palestrantes discutiram as calamidades na gestão publica e as alternativas de superação

Publicado para | Secundário em 12 de Maio de 2017 09:24

O Observatório Social do Brasil promoveu entre os dias 08 e 11 de maio, no Campus da Indústria/FIEP, em Curitiba, o 1º  Congresso do Pacto pelo Brasil – Calamidades X Eficiência da Gestão Pública. A abertura do evento contou com a participação de Sérgio Moro. Na ocasião, o juiz Federal, responsável pelas ações da operação lava jato em primeira instância, afirmou ter grande admiração pelo trabalho do observatório. “Eu vim para prestigiar as pessoas que se voluntariam para trabalhar no Observatório Social. Acho que este trabalho é muito importante. As pessoas tem que saber o que os seus governos fazem”, disse.

O procurador da República, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato também esteve presente e destacou a importância da realização do congresso. “Eventos como este são essenciais porque o que a lava jato fez foi um diagnóstico. Agora, nós vamos caminhar para tratamento, para as boas práticas, para a transformação do nosso país. As discussões apresentadas são como catalisadoras de boas idéias, de uma caminhada que vai da indignação para a transformação do nosso país”.

Os debates abordaram, por meio de painéis temáticos, temas de gestão pública e privada, as calamidades encontradas, os fatores que favorecem a corrupção nestes segmentos e o impacto na qualidade dos serviços oferecidos ao cidadão. Os participantes também tiveram a oportunidade compartilhar as boas práticas com o objetivo de inspirar o fortalecimento dos sistemas de compliance no setor privado e mostrar que as empresas, inclusive as pequenas e as médias, também devem atuar na prevençāo e no monitoramento dos riscos de corrupçāo dentro da própria organizaçāo.

Ao encerrar o evento, o presidente do Observatório Social do Brasil, Ney Ribas, afirmou que o 1 Congresso Pacto pelo Brasil é um marco na história recente do país. “Nós temos que criar uma visão de Brasil de curto, médio e longo prazo. Precisamos descobrir, junto com a nova geração, onde queremos chegar. Qual é o caminho que vamos seguir. E para isso temos que usar a inovação social”, disse.

1° ação do Pacto pelo Brasil

O Seminário Digital – Transparência nas Compras Públicas é a primeira ação do 1° Congresso Pacto pelo Brasil.  Pela primeira vez na internet, o evento digital vai reunir as maiores autoridades em governança e gestão pública do país que participaram do congresso presencial realizado em Curitiba. As inscrições são gratuitas e o material estará disponível entre os dias 13 e 16 de julho, no site http://comprasgov.com.br.

“A ideia é dar acesso gratuito a todos os agentes públicos e ao cidadão comum às informações necessárias para dar mais transparência nas compras públicas”, afirma Fabiano Zucco, CEO do Dot Digital Group e idealizador do seminário. Além de disponibilizar os vídeos das palestras, o site vai oferecer também duas plataformas que darão acesso a todas as licitações que acontecem no Brasil.  As ferramentas, criadas pela RCC Soluções em Licitações, apresentam vantagens tanto para o poder público quanto para as empresas. Nas prefeituras, o objetivo é facilitar o trabalho nos processos e inibir a corrupçāo. Por meio do sistema, vai ser possível identificar quem são os compradores, os vendedores, os sócios das empresas e os preços praticados no mercado para pregões públicos mais seguros.  Outro benefício que o sistema oferece é o acesso à maior base nacional de micro e pequenas empresas do país.

Já as empresas terão a oportunidade de participar das licitações do maior comprador do Brasil, que é o poder público. “Muitos empresários não sabem que a prefeitura ou a câmara de vereadores do seu município, por exemplo, está licitando um determinado produto que ele mesmo pode comercializar por meio de licitação. E com a plataforma, que vamos entregar durante o encontro, o empresário vai receber de forma eletrônica todas as licitações do seu ramo de atividade que estão sendo executadas pelos órgãos públicos da sua cidade”, garante Ney Ribas.

Fonte: Observatório Social do Brasil